quinta-feira, 9 de julho de 2009

Um novo mundo é possivel? Para Schirmmer não!!!!

Brasil. RS. Santa Maria. Capital da Economia solidária, Santa Maria prova que a reinvenção da economia tem mudado a vida de todos os seus habitantes, em poucos anos a solidariedade santamariense mostrou a beleza de um novo modelo de associativismo: a Economia Solidária.
A economia solidária em nossa cidade fez com que a comunidade repenssa-se as formas de combate a fome e encontrasse novas formas de inclusão social, as feiras solidárias, os catadores reciclando, não apenas materiais jogado fora, mas reciclando a cidadania, são alguns dos exemplos da efetividade deste tipo de economia.

Segundo Dom Hélio Hubert bispo diocesano de Santa Maria a economia solidária tem como finalidade promover, divulgar e fortalecer a rede de empreendimentos solidários e também autogestionários, atingindo a pessoa, a familia a comunidade e toda a sociedade. É importante pois abre para o aspecto comunitário, possibilitando mudanças de mentalidade o posicionamento perante a economia e um desenvolvimento que integra mais pessoas e grupos de modo especial os mais pobres e que de certa forma são marginalizados pela sociedade.

Para a irmã Lourdes Dill do Projeto esperança e cooesperança, a economia solidária é um movimento de construção de um novo modelo de desenvolvimento sustentável e contrapõe o capitalismo, a globalização, a concentração de renda e a exclusão social.

A economia solidária é hoje devido ao governo LULA uma politica, através das SENAIs secretária nacional de economia solidária uma alternativa contra o desemprego estrutural, já que a economia solidária hoje organiza o trabalho e não o emprego, dentro deste viés o importante é produzir coletivamente, fazer a auto gestão de seu trabalho e dividir o fruto deste, diferente do capitalismo que concentra o lucro.

A feira da Economia solidária para o nosso ex prefeito da Cidade Valdeci Oliveira que sempre apoiou por entender que esta feira é a consolidação do cooperativismo ,é a consolidação de que é possivel a organização dos trabalhadores urbanos e rurais e que acredita que somente organizados de forma coletiva os trabalhadores poderão construir um novo mundo uma nova sociedade.

Nos dias, 10, 11, e 12 de Julho a Feira da economia solidária estava na agenda do mundo inteiro, já que Santa Maria recebe mais de 200 mil pessoas para participar deste evento.
A nova administração municipal, Schirmmer e Farret de posse de suas atribuições e utilizando a desculpa da Gripe H1n1, cancelou este evento, sendo que já tinham até mesmo autorizado legalmente a feira.

Vejo isto como um tiro no próprio no pé dessa direita fascista, já que nosso municipio atestou não dar conta de possiveis casos desta doença na cidade, os povos do mercosul já haviam sido desconvidados e comprenderam o receio da cidade em receber povos onde está doença já fez bastante vitimas. Mesmo assim a administração municipal boicotou a feira!
Um absurdo ja que este evento movimenta muita gente e projeta nossa cidade para o cenario mundial.

Se a administração barra a FEICOOP deveria barrar todos os outros eventos que terão acumulo de gente na cidade, a gripe é um fato consumado e de algum jeito estamos expostos a ela, mas ao municipio cabe dar conta deste problema de saúde já que ele vem se alastrando diaramente.
Sabemos que esta intervenção e o cancelamento da feira é uma jogada politica do prefeito atual, pois ele não respeita a organização do povo, não respeita os pequenos ele simplesmente passa por cima de um projeto que ja estava consolidado em nossa cidade.

O que vai acontecer? O minimo é a Feira da economia solidária rumar para outro municipio, muitos ja até convidaram por ser simpaticos a este projeto e esta nova visão de mundo, é a administração municipal tentando desfazer tudo de bom que a administração do PT construiu para o povo santamariense ao longo dos oito ultimos anos de governo do PT na nossa cidade.

Artigo publicado em: http://ofantasticomundodejuly.blogspot.com

AFRO-BLOG'S