segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Movimento por candidatura própria ganha força

aqui no Paraná o movimento por candidatura própria ganha força. Recentemente dois petistas colocaram o seu nome a disposição do partido para disputar o governo estadual. Os nomes são da atual secretária estadual de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, ex-reitora da Universidade estadual de Londrina, Lygia Puppato. Outro nome é do ex-prefeito de Londrina por duas gestões, Nedson. O nome do Edson tem muitas restrições, por conta de sua administração a frente da prefeitura de Londrina, que pelas informações que tenho, foi, digamos, parecida com o atual governo estadual do Marcelo Déda.


Porém, mesmo com tais nomes colocados a disposição do partido, a direção estadual ainda queria porque queria uma aliança com o PDT, que tem o senador Osmar Dias, como pré candidato ao governo estadual.


Muito recentemente as executivas estaduais dos dois partidos (PT e PDT) se reuniram, e nessa reunião o senador Osmar Dias fez uma proposta aos dirigentes petistas: O PDT aceitaria o PT em uma aliança e em troca o PT aceitaria que a vaga que disputará o senado fique com Abelardo Lupion, atual deputado federal pelo DEM, e um dos líderes ruralistas na Câmara dos Deputados.


Por tal motivo (a proposta de Osmar Dias) é que eu disse que, até então, a direção estadual do PT ainda queria porque queria uma aliança com o PDT.


Hoje, no entanto, após essa reunião entre as duas executivas partidárias, vem ganhando força dentro do PT-PR – leia-se, entre nomes e grupos ligados ao CNB - a candidatura própria. E pelas informações – umas até recebidas por telefone de um assessor da própria secretária Lygia, é que muitos grupos, da direita, estão, sim, querendo e se movimentando para que esse movimento (pró candidatura própria) venha a se fortalecer mais e mais. Entre essas pessoas, está, pelas informações, a atual presidenta estadual do partido, Gleisi Hoffmann e seu esposo, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e Bruno Vanhoni, etc... A esquerda petista, claro, concorda com esse movimento, agora, incorporados por parte deles mesmos.


O fato das informações dizerem que até a Gleisi Hoffmann e seu esposo, Paulo Bernardo, estarem fazendo, eco as conversas por candidatura própria, agora, me deixa com, no mínimo, uma dúvida: até que ponto ela, seu esposo e porque não, o seu grupo, estão trabalhando, de fato, em prol do PT? Haja visto que essa mesma direção estadual do partido no estado do Paraná, quem tem a maioria da executiva e do diretório, de integrantes do CNB, foram os mesmos que aprovaram coligações nas eleições municipais de 2008, com o DEM - o mesmo do deputado ruralista Abelardo Lupion - em 55 municípios e em outras 58 cidades, aprovou coligaçoes com o PSDB. Vejo, infelizmente, que, mesmo agora, nas conversas pró candidatura própria, o CNB, nas pessoas de Gleisi e de Paulo Bernardo (ministro do Planejamento), o interesse pessoal predomina. Pois, o nome da Gleisi Hoffmann já está lançado para o senado. Penso que, se o Osmar Dias fizer o improvavel, que é retirar a "proposta-imposição" do nome de Lupion ao senado, essas mesmas pessoas (Gleisi, Bernardo, ...), voltam a defender e a trabalhar por uma coligação com o Osmar Dias (PDT).


Resumindo: parece que começa a ser desenhado uma candidatura petista ao governo estadual. (Só lamento que esse desenho só começa a ser desenhado, agora, após tanto tempo a direção estadual ter corrido atrás de Osmar Dias).


Mas como nada está decidido,veremos como se desenrola esse processo. Por enquanto, são essas as informações sobre o Paraná que eu os trago, companheiros e companheiras.


Saudações socialistas,
Claudio Ritser
AE-PR

AFRO-BLOG'S