terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"Tristeza do Jeca" - Pena Branca e Xavantinho

Dupla sertaneja formada pelos irmãos José Ramiro Sobrinho, o Pena Branca (Uberlândia MG 1939) e Ranulfo Ramiro da Silva, o Xavantinho (Uberlândia 1942). Desde pequenos trabalharam na roça com os pais e mais cinco irmãos. José Ramiro tocava viola.

Começaram a cantar em 1962 e, em 1968, mudaram-se para São Paulo SP para tentar a vida artística. Em 1980 inscreveram-se no Festival MPB Shell da TV Globo, com a música Que terreiro é esse?, de Xavantinho, que foi classificada para a final. No mesmo ano, a dupla lançou o seu primeiro LP: Velha morada (Warner), com destaque para Cio da terra (Milton Nascimento e Chico Buarque) e Velha morada (Xavantinho).

A dupla participou, em 1981, do programa Som Brasil, na TV Globo, apresentado por Rolando Boldrin, com quem atuou depois em shows pelo Brasil. Em 1982 lançaram o LP Uma dupla brasileira, produzido por Boldrin, com os destaques Memória de carreiro (Juraildes da Cruz) e Rama da mandioquinha (Elpídio dos Santos).

Em 1987 lançaram o LP O cio da terra (Continental), com participação de Milton Nascimento, Marcus Viana e Tavinho Moura, destacando-se Vaca Estrela e boi Fubá (Patativa de Assaré) e Cuitelinho (folclore recolhido por Paulo Vanzolini). Em 1988 lançaram o LP Canto violeiro (Continental), com participação de Fagner, Tião Carreiro, Almir Sater e outros, contendo Mulheres da terra (Xavantinho e Moniz).

Ganharam em 1990 o Prêmio Sharp de melhor música (Casa de barro, de Xavantinho e Moniz) e melhor disco (Cantado do mundo afora). Em 1992, CDs Renato Teixeira e Pena Branca e Xavantinho – Ao vivo em Tatuí (Kuarup) recebeu o Prêmio Sharp de melhor disco e o Prêmio APCA. Gravaram em 1993 Violas e canções (Velas), destacando-se Viola quebrada (Mário de Andrade). Nesse ano, os shows da dupla estenderam-se aos EUA.

Lançaram ainda Ribeirão encheu (Velas), em 1995, com Luar do sertão (João Pernambuco e Catullo da Paixão Cearense), e Pingo d'água (Velas), em 1996, com Tristeza do jeca (Angelino de Oliveira) e Flor do cafezal (Luís Carlos Paraná).

Biografia: Enciclopédia da Música Brasileira
Art Editora e PubliFolha

AFRO-BLOG'S