quinta-feira, 13 de maio de 2010

EMIR SADER É CANDIDATO À SUPLÊNCIA DO SENADO


A candidatura de Emir Sader à primeira suplência do senado vai ser apresentada hoje à direção do PT-RJ

O escritor, sociólogo e cientista político Emir Sader vai formalizar hoje a sua pré-candidatura à primeira suplência do partido ao senado, cujo candidato titular indicado pelo PT do Estado do Rio é Lindberg Farias, ex-prefeito de Nova Iguaçu

A informação que há uma semana circulava nos bastidores do partido se tornou fato político, a partir de ontem quando Sader comunicou por e-mail a sua intenção ao secretário estadual de organização do PT-RJ, deputado estadual Gilberto Palmares. Hoje, um emissário irá a sede do partido para encaminhar a inscrição do seu nome. Emir Sader viajou para a Espanha, por isso não irá pessoalmente.

O nome de Sader agrega o apoio de lideranças de diferentes correntes do partido em nível estadual e nacional e conta com a simpatia de Lindberg Farias e de Dilma Rousseff, de quem o intelectual é amigo desde a década de sessenta. Ele é lembrado como um dos raros intelectuais que se posicionaram em defesa do partido, quando este foi alvo de duros ataques da mídia e da oposição tucano-demonista, a partir do ano de 2005, e um ferrenho defensor do governo Lula e da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República.

Emir Sader é professor aposentado da Universidade de São Paulo (USP), onde se formou, fez mestrado em Filosofia Política e doutorado em Ciência Política, foi professor de política na Universidade de Campinas (Unicamp) e coordenador do Laboratório Políticas Públicas, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Autor de vários livros e artigos, atualmente é articulista político do Site da Agência Carta Maior e secretário executivo do CLACSO – Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais.

Até o momento pleiteiam a suplência o ex-prefeito de Niterói, Godofredo Pinto, e o militante do PT de Campos (RJ) e sindicalista, Hélio Anomal. A alternativa da escolha de um nome fora do partido para a vaga, segundo fonte da executiva estadual do partido, está descartada.

Segue a carta enviada para a direção estadual do PT-RJ:

“Estimados companheiros da Direção Estadual do PT

Consultado sobre a possibilidade de que venha a ser candidato a suplente de senador pelo Rio de Janeiro, depois de ponderar vários aspectos e fazer várias consultas, me decidi a colocar meu nome à disposição do PT, caso vocês julguem que deve corresponder ao nosso partido indicar um nome para esse cargo e caso a eventual indicação do meu nome some, gere consenso, ajude a unificar o partido e não a gerar novas divisões.

Estou participando da campanha da Dilma, seja por estar a favor da indicação do nome dela para a sucessão do Lula, seja pelos laços de confiança e companheirismo que temos desde os anos 60. Estou fazendo lançamentos com debate do livro “Brasil, entre o passado e o futuro”, que organizei com o Marco Aurélio Garcia, já pude participar de 30 deles, espero continuar fazendo.

Creio que isso não se chocará com as condições da campanha aqui, caso eu venha a ser indicado.

De qualquer forma, nos marcos das minhas possibilidades, contem comigo, seja ou não indicado para a candidatura a suplente de senador pelo PT.

Um abraço.

Emir Sader”

Flávio Loureiro, jornalista

AFRO-BLOG'S