segunda-feira, 12 de julho de 2010

Manifesto do Coletivo Francisca Trindade

Apresentado no Encontro Estadual da Juventude do PT

A juventude negra sempre esteve nas principais lutas democráticas em nosso país. Construiu os quilombos e reclamou o fim da abolição, tocando fogo nas Casas Grandes e erguendo nas matas e ruas o símbolo maior da nossa resistência. Carregou bandeiras, subvertendo o estado das coisas na capital baiana, construindo a sua independência. Construiu greves antes mesmo de a grande indústria ser erguida, enfrentou a ditadura civil-militar e ocupou as terras que lhes era direito, preservando identidades, culturas e fazendo da sua resistência o germe da luta agrária no país. Da juventude negra, erguem-se símbolos fundamentais da cultura brasileira, como o samba e a capoeira. Construímos o país, lutando cotidianamente contra a violência física, psicológica, moral e institucional que fazem parte da história do Brasil contra a população negra. E essa luta continua.

O racismo tem cumprido também o seu papel elaborado pelas elites tradicionais, detentora histórica do poder no país: uma máquina cruel de opressão da pobreza, manutenção do status quo e engessamento de transformações realmente profundas no Estado brasileiro. Basta olharmos para os piores indicadores sociais do país, em todos os níveis, em todos as áreas: desenvolvimento humano, educação, saúde, emprego, moradia, violência. Inequivocamente, nos depararemos com a juventude negra na pior situação.

Mas a nossa história é de luta!

As instituições políticas nunca estiveram de portas abertas para a nossa ação. Ou por não compreender o racismo enquanto pilar fundamental da opressão capitalista no mundo, ou simplesmente por incapacidade de agregar à luta a população negra. O Partido dos Trabalhadores surge da luta de milhões de trabalhadoras e trabalhadores do Brasil, maioria de negras e negros; nasce do suor da nossa população e do sangue de tantas e tantos lutadores. Chegou a hora de a Juventude Negra enegrecer também o nosso partido!

O Coletivo Francisca Trindade quer reunir essa militância comprometida com um projeto socialista para o Brasil, que tenha o combate ao racismo enquanto tarefa cotidiana de nossas vidas e que compreenda a necessidade de imprimir no próximo período um ritmo acelerado de transformações positivas para a juventude negra em nosso Estado. A Juventude Negra deve tomar em mãos a tarefa de enegrecer os  nossos programas de governo: na Bahia, o próximo mandato de Jaques Wagner, e a nível nacional, o primeiro mandato da companheira Dilma Roussef. Continuemos em luta! Reparação racial, combate permanente ao racismo institucional e promoção de mais lideranças negras no país!

Quem foi Francisca Trindade?

Francisca das Chagas da Trindade nasceu em Teresina em 26 de março de 1966. Começou a militância nos grupos de jovens da comunidade onde nasceu na periferia da cidade, onde liderou as organizações e as lutas dos jovens do Bairro. Foi secretaria da Pastoral de Juventude do Meio Popular - PJMP da Arquidiocese de Teresina. Filiou-se ao Partido dos Trabalhadores em 1985, participando da sua organização e construção, contribuindo para difundir a idéia de um Partido de massa, socialista e classista. Negra, foi vereadora, deputada estadual (a mais votada) e a deputada federal mais votada da história do Piauí – com mais de 165 mil votos. Morreu aos 37 anos em julho de 2003.

COLETIVO FRANCISCA TRINDADE

JUVENTUDE DA ARTICULAÇÃO DE ESQUERDA

PARTIDO DOS TRABALHADORES

Eduardo Ribeiro "Dudu"
1º Vice-Presidente da União dos Estudantes da Bahia

CEJAE-BA
71 88425776

AFRO-BLOG'S