quinta-feira, 21 de outubro de 2010

NOTA DE REPÚDIO À QUEIMA DA BANDEIRA DO MST E DA VIA CAMPESINA

 

Foram queimadas, dentro do campus da Universidade Federal de Viçosa, as bandeiras do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e da Via Campesina, na madrugada do último sábado, dia 16 de outubro. Estes símbolos representam organizações que lutam pela reforma agrária e que são protagonistas da história deste país. O MST e a Via Campesina são responsáveis pela conquista de dignidade para muitas pessoas que compõem uma classe alijada dos seus direitos, para trabalhadores encarregados de gerar a riqueza neste sistema desigual e cruel em que vivemos.

As bandeiras se encontravam hasteadas por ocasião do III Seminário de Questão Agrária, um evento democrático que propõe discussões profundas sobre a realidade do campo, que contava com a participação de estudantes de Escolas Família Agrícola, professores e estudantes universitários, camponeses representantes de movimentos sociais e de sindicatos. Este contexto marca o caráter fascista deste ato, uma vez que a queima destas bandeiras representa a materialização da intolerância dentro de um espaço que se propunha ao diálogo.

A história da UFV é marcada pela cultura da intolerância, a qual demonstrar determinados posicionamentos políticos tem como efeito reações violentas e desrespeitosas. Forjada para servir aos filhos dos coronéis, esta Universidade sempre teve seu espaço demarcado pela presença do latifúndio e da chibata. A queima de bandeiras e a desmoralização dos símbolos dos movimentos sociais, fatos recorrentes dentro da UFV, provam que este passado não foi superado e que o agronegócio se entranha cada vez mais nesta instituição, reafirmando sua influência nefasta.

Diante disto, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra vem a público manifestar REPÚDIO ao ato fascista de queima destas bandeiras, que serviu somente para a reafirmação de valores intolerantes e anti-democráticos.

“Os poderosos podem matar uma,

duas ou até três rosas,

mas jamais poderão deter a primavera.”

Che Guevara

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA

Junto ao MST, assinam esta nota:

Consulta Popular

Executiva Nacional de Estudantes de Biologia - ENEBIO

Federação de Estudantes de Agronomia do Brasil - FEAB

Associação Brasileira de Estudantes de Engenharia Florestal - ABEEF

Associação de Geógrafos Brasileiros - Seção local Viçosa

Movimento dos Atingidos por Barragens

Marcha Mundial das Mulheres

Grupo Movimente-se

AFRO-BLOG'S