terça-feira, 24 de maio de 2011

Relatório da Audiência Pública realizada em 23 de maio de 2011

Barra Mansa, 23 de maio de 2011

Pauta:Por uma educação pública de qualidade e valorização dos profissionais da educação

Iniciando, pudemos constatar que os vereadores dessa cidade não estão aí para a educação de Barra Mansa, pois mesmo não convocando a audiência, mesmo tendo sido convidados para esta, dos 12 representantes do povo(será????), apenas dois compareceram, que foram os vereadores Maurício (PT) e Marcelo(PT), com seus respectivos assessores. Também esteve representada a deputada estadual Inês Pandeló (PT).

A coordenadora do SEPE, profª Isa informou que o SEPE reuniu-se com o presidente da câmara de vereadores de Barra Mansa para que, com o mesmo, pudesse agendar uma data para que a audiência acontecesse e estivessem presentes os”representantes do povo”, porém o presidente da Câmara achou inviável essa proposta. Será que é para legitimar o NÃO COMPROMETIMENTO COM AS POLÍTICAS DA CIDADE???

O FUNDEB entrou na pauta citando-se principalmente os gastos com a apostila COC NAME. Sobre essas apostilas houve um depoimento emocionante de uma mãe de aluno que informou que agendou uma audiência com a secretária de educação da cidade a fim de se posicionar e demonstrar sua indignação pelo material cedido a seu filho. Segundo essa mãe, ela informou à secretária sobre o retorno que a apostila COC traz para seu filho: leia-se: NENHUM retorno positivo, muito pelo contrário, ela considera, como mãe que a apostila é de difícil conclusão e o que é pior, tamanha dificuldade não ajuda em nada no crescimento escolar de seu filho.Segundo depoimento, ela informou que seu filho reclamava muito por não saber as respostas que a apostila exigia que ele desse, e também da pressão exercida sobre ele em dias de visita do “pessoal do Coc”.

A fala dessa mãe demonstra o que todos já sabem: o material do COC tem que ser retirado imediatamente do ensino público de Barra Mansa e que o material que o MEC envia é o que deve ser retomado.

Uma tia de um aluno da rede também, em posse da palavra, reclamou que a História da região Sul Fluminense não é contada nas apostilas COC NAME!

O vereador Maurício em posse da palavra ratificou que já havia denunciado os gastos absurdos com as apostilas que não contribuem para um ensino de qualidade. O vereador informou que enviará para o MEC uma cópia da apostila para provar que a representação pedagógica do apostilado não justifica os gastos investidos nele. O vereador também ratificou que informará ao MEC que os livros enviados pelo governo às escolas estão sendo utilizados aqui em Barra Mansa como um mero rascunho ou livro de pesquisa. Vale ressaltar que os livros do MEC são adquiridos com nosso dinheiro.

Em posse da palavra, o vereador Marcelo informou que já enviou um pedido ao gabinete do prefeito para saber por que o dinheiro do FUNDEB está sendo investido na ONG Construindo Sonhos? Também informou que visitou alguns colégios do caos relacionados às chuvas no mês de março para exigir do executivo uma posição sobre o porque de não priorizar essas reformas??? O vereador declarou que fará denúncia ao Ministério Público sobre os gastos desnecessários relativos às apostilas COC.

A representante da deputada Inês Pandeló informou que a luta da deputada é pela

data-base dos profissionais da educação e defesa de seus direitos.

A profª Dodora do SEPE Central informou que a nossa pauta principal é Educação de qualidade para todos, de verdade, e o que temos hoje são acordos entre os governos, refletindo em resultados como esse grande investimento na Empresa Name pelos governos de B.M., objetivando não a educação, mas campanhas políticas que serão financiadas por essas empresas no futuro.

Dirigindo a palavra aos parlamentares, solicitou que esses exijam com mais rigor a prestação de contas do executivo. A obrigação dos vereadores é de fiscalizar os gastos públicos! Finalizou com uma pergunta: Será que o governo quer a melhor escola para a classe trabalhadora? Já sabemos a resposta, pois essa escola é a morte daqueles que estão na corrupção do poder, porque a melhor escola acaba por conscientizar os cidadãos e cidadão consciente não se corrompe e nem cruza os braços frente à corrupção!!!

Sobre o IDEB a fala é única: Ele serve para medir o conhecimento de quem? De NINGUÉM!!! Como medir um conhecimento de escolas e clientes distintos com uma prova IGUAL??? Impossível.

A proposta final é a de REAGIR... não dá para ficar com os braços cruzados ou reclamando. O convite de quem já está na luta é para que VOCÊ junte-se a nós. O problema não é mais individual. É COLETIVO. O problema é com a educação pública que mexe com toda a sociedade e com as novas gerações. A solução só vem com Luta e Organização de todos.

Proposta: participação no Fórum Nacional de educação para exigir que o repasse do PIB para a educação seja de 10% e não mais os 5,5% que temos hoje.( em breve, mais informação).

“A nossa luta não é só pelo salário, é pela qualidade na educação que começa pela valorização do professor e funcionários da educação.”

Presentes nessa luta: Professores, pais de alunos, vereadores(2), presidentes de associações de moradores, funcionários da educação,representantes do SEPE, da sociedade civil,alunos da rede, assessoria da deputada Inês Pandeló.

AFRO-BLOG'S