segunda-feira, 7 de maio de 2012

François Hollande vence e assume poder na França no próximo dia 15

Notícia da edição impressa de 07/05/2012

PHILIPPE DESMAZES/AFP/JC

Novo presidente francês deve tomar posse no dia 15 de maio.

Em seu primeiro discurso após a divulgação dos resultados preliminares do segundo turno das eleições presidenciais francesas que lhe concederam vitória, o socialista François Hollande afirmou que está a serviço da França e que o país não está condenado à austeridade. “O dia 6 de maio marca um novo começo para a Europa”, afirmou Hollande, observando que os eleitores escolheram a mudança. 

Durante a campanha, Hollande pediu pela renegociação do pacto fiscal europeu, o qual impôs limites rígidos aos gastos públicos de países membros da União Europeia (UE) para encerrar a crise da dívida da zona do euro. Hollande quer que um compromisso de crescimento seja adicionado ao pacto fiscal. 

Hollande agradeceu a todos que fizeram sua vitória possível e disse que Nicolas Sarkozy merece “todo o nosso respeito”. Ele prometeu servir o país com devoção. Na Praça da Bastilha, em Paris, milhares de simpatizantes de Hollande comemoravam sua vitória. O presidente eleito tomará posse no dia 15 de maio.

Nicolas Sarkozy reconheceu sua derrota nas eleições presidenciais francesas logo que saíram os primeiros resultados. Ele será o primeiro presidente francês a não conseguir se reeleger em mais de três décadas e também o 11º líder da zona do euro a perder o poder em meio à crise fiscal da região.

Sarkozy disse ter se comprometido ao máximo e totalmente, mas que infelizmente não foi bem-sucedido. Ele afirmou ainda ser totalmente responsável pela derrota. Ao mesmo tempo, agradeceu os franceses e aos milhões que nele votaram e disse que “o nosso país é maior do que somos”. “Amamos a França”, disse Sarkozy, pedindo aos seus eleitores que respeitem o processo democrático. Disse ainda ter sido uma grande honra ter governado a França.

Segundo amostras preliminares, o candidato socialista François Hollande, de 57 anos, obteve entre 52% e 53% dos votos. Sarkozy, que tem a mesma idade, teria conquistado 46,7% a 48% dos votos.

Dilma cumprimenta eleito e o convida para a Rio+20

A presidente Dilma Rousseff defendeu que o aperto fiscal seja acompanhado por políticas de crescimento e inclusão social na França, ao cumprimentar Hollande pela vitória. Em mensagem encaminhada na noite de ontem, a presidente aproveitou para convidar o colega para a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, em junho, no Rio de Janeiro.

“Acompanhei com grande interesse suas propostas de vencer a crise que enfrenta a Europa com responsabilidade macroeconômica, mas, sobretudo, com políticas que favoreçam o crescimento, o emprego, a inclusão e a justiça social. Estou segura que poderemos compartilhar posições comuns nos foros internacionais - dentre eles o G-20 - que permitam inverter as políticas recessivas, ainda hoje predominantes, e que, no passado, infelicitaram o Brasil e a maioria dos países da América Latina”, disse a presidente. 

Além disso, Dilma afirmou que França e Brasil “estão unidos por ambiciosos projetos bilaterais, como consequência da aliança estratégica que estabelecemos”. “Estou segura que daremos continuidade a essa cooperação nos próximos anos”, completou.

Merkel e Cameron parabenizam Hollande

A premiê da Alemanha, Angela Merkel, e o primeiro-ministro conservador britânico, David Cameron, telefonaram na noite de ontem para o socialista François Hollande, para cumprimentá-lo pela vitória nas eleições presidenciais francesas. 

De acordo com o diretor de campanha do socialista, Pierre Moscovici, Merkel marcou um primeiro encontro com o presidente eleito e incentivou que trabalhassem juntos pela relação entre os dois países e pela Europa. “Merkel o convidou a visitar Berlim, o que fará rapidamente após a posse.”

A sede do governo britânico também confirmou a ligação de David Cameron para François Hollande. 

“O primeiro-ministro telefonou ao presidente eleito esta noite (ontem) para felicitá-lo por sua vitória. Estão impacientes para trabalhar muito estreitamente e para construir uma relação próxima, que já existe entre Grã-Bretanha e França”, declarou um porta-voz de Cameron.

Fonte: Jornal do Comercio

 

 

AFRO-BLOG'S