domingo, 19 de agosto de 2012

Série Biografia: Joaquim Nabuco

Por Fernando Rebouças

Político, diplomata e abolicionista em Pernambuco, Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo nasceu em 19 de agosto de 1849, em Recife. Faleceu em 17 de janeiro de 1919, em Washington, EUA.

Era filho de José Tomás Nabuco de Araújo e de Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo. Seu pai era senador, jurista e político baiano. Joaquim Nabuco estudou no Colégio Pedro II, na cidade do Rio de Janeiro. Tornou-se bacharel em Letras.

Casou-se com Evelina Torres Ribeiro, filha de José Antônio Soares Ribeiro, o I Barão de Inhoã. Teve cinco filhos: Maurício (diplomata), Joaquim (sacerdote), Carolina (escritora), Mariana e José Tomas.

Foi para São Paulo em 1865, para cursar direito. Concluiu o curso em 1870, na cidade de Recife. Ingressou no serviço diplomático, trabalho como adido de primeira classe em Londres e Washington entre os anos de 1876 a 1879.

Era oposto à escravidão, e contra ela lutou em suas atividades políticas e como escritor. Em 1879, na Câmara dos Deputados, realizou campanha contra a escravidão, na época, fundou a Sociedade Antiescravidão Brasileira.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

PRA MUDAR DE VERDADE - Boletim eletrônico

 

Se você não conseguir visualizar esta mensagem, acesse este link

Lindbergh faz corpo a corpo com Inês e Ruthinha neste sábado

Créditos: Léo Portella



"Inês é a candidata do ex-presidente Lula e da atual presidenta Dilma", afirmou Lindbergh em última visita a cidade fluminense. (foto)

O senador Lindbergh Farias estará no Centro de Barra Mansa neste sábado, 11/08, onde fará uma caminhada pelas avenidas Domingos Mariano e Joaquim Leite até a Praça da Matriz, com Inês ? prefeita e Ruthinha, vice. Durante o corpo a corpo serão ouvidas sugestões da população e comerciantes. Também será distribuído material informativo sobre as propostas de governo da coligação Pra Mudar de Verdade (PT/PP). A concentração acontece às 9h, próximo ao Restaurante Cidadão.

Adesão ? Após a caminhada, Lindbergh participa do almoço de adesão à campanha de Inês, prefeita e Ruthinha, Vice. O evento acontece às 13 horas, no Restaurante Gaia Grill, no Ano Bom, Centro. Os convites já estão esgotados.

Inês e Ruthinha realizam atividades de campanha em Barra Mansa

Créditos: Priscilla Malafaia




Inês e Ruthinha caminham no Centro

Dando prosseguimento às atividades de campanha, a candidata à prefeitura de Barra Mansa pelo Partido dos Trabalhadores Inês visitou diversos bairros nas últimas semanas. Na Vila Elmira, Inês informou que conseguiu, junto ao Secretário Estadual de Ambiente, Carlos Minc e ao FECAM (Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano) a liberação de verba para a canalização do córrego do bairro. "Essa é mais uma conquista. Os moradores esperam há muito tempo uma solução. Esta obra vai melhorar muito a qualidade de vida dos moradores. E ainda existe a exigência de que o esgoto seja tratado separadamente", declarou Inês, explicando que a assinatura do convênio para a liberação da verba será realizada logo após o processo eleitoral. A obra será realizada com recursos do Governo do Estado, através do Fecam, que vai investir cerca de R$5,5 milhões, com contrapartida da prefeitura. O valor total da obra é de aproximadamente R$ 7 milhões.

No Centro, Inês e a candidata a vice-prefeita Ruthinha (PP) estiveram na Praça da Matriz e caminharam por ruas próximas ao Centro.

Inês tem candidatura à prefeitura deferida pelo TRE

Créditos: Divulgação de Candidaturas ? TSE




O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE) deferiu dia 03/08, o registro da candidatura de Inês à prefeitura de Barra Mansa e sua vice Ruthinha (PP). A medida do Tribunal afasta qualquer possibilidade de inelegibilidade.

Comitê eleitoral da Coligação Pra Mudar de Verdade em pleno funcionamento

Créditos: Jane Portella




Inês e Ruthinha abrem as portas para o povo

Está em pleno funcionamento o Comitê da Coligação Pra Mudar de Verdade, com Inês ? prefeita e Ruthinha vice. O espaço na Avenida Domingos Mariano concentra materiais de campanha, como adesivos, folhetos e afins. De acordo com Inês o comitê tem a finalidade de ser um local para contato direto com a população visando à divulgação das propostas de governo, como a atração de novos investimentos e empregos, saúde, educação, lazer, cultura e esportes.

Lula grava e fotografa com Inês

Créditos: Divulgação




Inês e Lula juntos na campanha

O ex-presidente Lula (PT) realizou em São Paulo sessão de fotos e filmagem com a candidata a prefeita de Barra Mansa, Inês. Na ocasião, ele disse do seu apoio a candidata e não descartou a possibilidade de vir ao município para um corpo a corpo no Centro.

Lula, ainda com a voz afetada em decorrência do tratamento contra o câncer de laringe, só gravou imagem sem voz, mas disse da importância de Inês retomar a prefeitura. "Inês hoje com mais experiência, reúne todas as condições para administrar Barra Mansa com competência, seriedade, compromisso e cuidado com a população. Em Barra Mansa, sou 13. Sou Inês".

Força e Vontade Pra Mudar de Verdade, vote 13!

CNPJ: 16.238.448/0001-88

 


Para garantir que nossos comunicados cheguem em sua caixa de entrada,
adicione o e-mail noreply@inespandelo.com.br ao seu catálogo de endereços.

A Inês Pandeló respeita a sua privacidade e é contra o spam na rede.
Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele sua inscrição aqui.

 

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

nota da AE sobre a greve do funcionalismo público federal

À Direção Nacional do PT



Durante os oito anos de governo FHC, encabeçados por PSDB e PFL (atual DEM), a política de estado com relação ao serviço público era de liquidação. Terceirizações, achatamento salarial, o mínimo de concursos. O resultado obtido: precarização das relações e do ambiente de trabalho.



Ao assumir o governo em 2003, o governo petista mudou esta história recente. Foram retomados os concursos públicos, houve recomposição salarial e cancelamento de contratos de terceirização, recompondo parcialmente o que foi perdido em mais de dez anos de hegemonia neoliberal.



A partir de 2007, as recomposições salariais cessaram, passando a ocorrer basicamente um “crescimento vegetativo” da massa salarial do funcionalismo, repondo parcialmente as perdas inflacionárias represadas.



No governo Dilma os salários foram congelados no primeiro ano de governo e as reposições inflacionárias passaram a ser promessas, feitas de forma parcelada e após o período de apuração.



As propostas para algumas carreiras, como a dos professores universitários, por exemplo, desvalorizam a qualificação profissional, mantendo a política de reajuste vegetativo. Algumas destas propostas colocadas em negociação propõem aumentos que sequer recompõem em algumas categorias o que é previsto como inflação para o período.



A iniciativa de recompor o quadro funcional por meio de concursos públicos é fundamental e estratégica na reversão do desmonte que a era neoliberal implicou na capacidade de planejamento e oferta dos serviços públicos essenciais à população por parte do Estado. Porém, sem estruturação de carreiras e valorização dos profissionais, este esforço de ampliação quantitativa dos quadros do serviço público pode ver-se dissipado. Uma carreira em que os funcionários não são valorizados não traz melhoria na qualidade dos serviços públicos, essenciais para que se tenha o crescimento sustentado almejado pelo governo.



Assim como o governo deu um grande passo para reduzir a hegemonia do capital financeiro ao reduzir os juros dos bancos públicos, valorizaro funcionalismo público federal é importante para aprofundar uma mudança de orientação iniciada em 2006 e que teve na edição do PAC uma sinalização importante com o aumento do gasto público na infraestrutura e nas politicas sociais fundamentais. Neste sentido é fundamental que o governo federal se empenhe efetivamente em abrir amplos e permanentes canais de diálogo e negociação com os servidores em greve, afastando qualquer postura de intransigência, que identificamos lamentavelmente na edição do decreto 7.777 que prevê a substituição dos servidores grevistas por funcionários estaduais e/ou municipais.



O Partido dos Trabalhadores deve apoiar a luta dos servidores em greve em suas reivindicações relativas à melhoria das condições dos locais de trabalho (reforma do espaço físico, renovação de equipamentos etc), de estruturação dos planos de carreira e de aumento real de salário para todos os servidores públicos federais, em especial os que estão em greve, instando o governo federal a ampliar e renovar seu empenho para o avanço das negociações.



A valorização do funcionalismo público não pode ser interditada em nome de suposta necessidade de contingenciamento orçamentário. A experiência dos anos recentes já demonstrou que a melhor maneira de enfrentarmos os efeitos (e as raizes) da crise econômica internacional é aumentar o gasto público com equivalente aumento da capacidade geral do Estado em prover serviços e infraestrura de qualidade para o conjunto da população.



É esta politica que está em jogo na atual greve do funcionalismo. Cabe ao PT cumprir um papel ativo na tentativa de fortalecer os canais de diálogo e negociação efetiva entre o governo e o movimento sindical do funcionalismo.



Direção Nacional da Articulação de Esquerda

AFRO-BLOG'S