sexta-feira, 17 de julho de 2015

Membros do Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial são empossados em Barra Mansa

Prefeito Jonas quer incluir história da cultura afrodescendente na grade curricular das escolas da rede municipal

A prefeitura de Barra Mansa empossou na manhã desta sexta-feira, dia 17, os membros do Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial. Por determinação legal, o conselho é formado por 20 titulares: 10 representantes da sociedade civil e 10 representantes do poder público que exercerão mandato de  dois anos, sem remuneração.

A cerimônia ocorreu no gabinete do prefeito Jonas Marins, no Centro Administrativo Municipal Prefeito Luiz Amaral (Campla), e foi prestigiada por integrantes dos movimentos negros e secretários municipais. Na ocasião, o vereador e membro da Unegro (União dos Negros e Negras do Brasil), Elias Silva de Andrade, o Lia Preto, agradeceu ao prefeito Jonas Marins pela atenção do governo municipal à causa dos negros da cidade.

"Já promovemos diversas atividades voltadas à população negra em Barra Mansa e sempre recebemos o apoio da prefeitura. Estamos trabalhando por uma realidade melhor e, acreditamos que a partir do Conselho, vamos nos estruturar melhor para avançar na elaboração de políticas públicas de igualdade racial, lembrando sempre que nossa maior riqueza é a miscigenação e diversidade do nosso povo", disse o vereador.


O prefeito Jonas Marins comentou sobre sua satisfação em instituir oficialmente o Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial. "Tenho um imenso orgulho de ser neto de negros e acredito que essa convivência familiar foi de fundamental importância para que eu encarasse a questão afrodescendente em um contexto da promoção do ser humano. A partir do conselho, nossa meta é ampliar a estrutura, quem sabe até com a criação de uma Coordenadoria  de Promoção e Igualdade Racial", ressaltou Jonas Marins, lembrando que a prioridade do governo é estabelecer ações e projetos em favor daqueles que mais precisam.

O chefe do Executivo comentou ainda sobre a importância da política de cotas como forma de democratizar cada vez mais a sociedade. "Avançamos nas políticas de inclusão social, mas é preciso muito mais. Também queremos, em breve, incluir na grade curricular do município a história da cultura afrodescendente no Brasil e formas de mitigar o preconceito que ainda existe em nossa cidade e no país", concluiu.






Fotos: Sergio Fortuna

AFRO-BLOG'S